Municipality of Campinas
Brazil

Population: 1142620
Area of jurisdiction: 794.433 km2

Commitments

  Community Government
Absolute base year GHG reduction target: n/a n/a
Baseline scenario (BAU) GHG reduction target: n/a n/a
Fixed-level GHG reduction target: n/a n/a
Carbon intensity reduction target: n/a n/a
Renewable energy target: n/a n/a
Energy efficiency target: n/a n/a
Government and Community: CO2(e) targets

Performance

Community GHG Emissions
Total ( n/a ):  0 tCO2e
Government GHG Emissions
Total ( n/a ):  0 tCO2e

Mitigation actions

Ônibus elétricos
Campinas (SP) é a primeira cidade brasileira a colocar em operação ônibus 100% elétricos que só necessitam de uma recarga noturna da bateria para rodar durante o dia todo. Os ônibus elétricos de Campinas têm capacidade para 80 passageiros (20 sentados) e autonomia para circular de 250 a 300 quilômetros por dia com apenas uma recarga noturna, na garagem, de duas horas. O veículo tem quase o mesmo preço do ônibus convencional, em torno de R$ 400 mil, mas a bateria chega a quase R$ 1 milhão. Têm capacidade para 80 passageiros (20 sentados) e autonomia para circular de 250 a 300 quilômetros por dia com apenas uma recarga noturna. Start year  
Sector  
Type Technical/Infrastructure investment
Status In progress
File download
Selo de Sustentabilidade (Selo S)
O Selo S constitui um certificado ambiental concedido pela Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SVDS, órgão ambiental da Prefeitura Municipal de Campinas, a uma determinada obra, empreendimento ou atividade passível de licenciamento ambiental municipalizado, nos termos da legislação ambiental vigente. São elegíveis à obtenção do Selo S os empreendimentos, obras e atividades que comprovarem o atendimento a, no mínimo, 10 (dez) critérios de sustentabilidade definidos pelo Decreto Municipal n° 18.705/2015 e Resolução Municipal n° 10/2015, sendo estes: - Minimização e reciclagem internas de resíduos no empreendimento (poderá ser considerada a redução, reutilização e/ou reciclagem de resíduos, inclusive externamente ao empreendimento); - Reúso de água e aproveitamento de água pluvial (poderão ser considerados o reúso de água, o aproveitamento de água pluvial, ou a utilização de água de reúso); - Utilização de tecnologias limpas (produção mais limpa); - Permeabilidade do terreno em taxa maior do que a exigida no Plano Diretor, incluindo adicional de área formado por dispositivo denominado “telhado verde” (será considerada a permeabilidade acima das taxas exigidas na legislação pertinente ao local do empreendimento ou atividade); - Utilização de madeira certificada e uso racional de recursos naturais. - Redução de emissão de gases causadores de efeito estufa (GEE) e/ou de material particulado; - Redução da quantidade de efluentes gerados pelos processos e/ou atividades; - Paisagismo que utilize apenas e exclusivamente espécies arbóreas e arbustivas nativas regionais e herbáceas não invasoras, além do estabelecido no art. 9º, § 6º do Decreto 16.974, de 04 de fevereiro de 2010 e/ou legislação que venha a substituí-lo; - Uso de materiais sustentáveis; - Instalações prediais sustentáveis; - Reutilização/redução de matéria-prima; - Apresentação de outras certificações ambientais validadas previamente pela equipe técnica da SVDS; - Inclusão de reeducandos, egressos do sistema penitenciário, idosos e/ou pessoas com deficiência nas contratações para o empreendimento, obra ou atividade, além das obrigações legais; - Medidas de acessibilidade adotadas, além das obrigações legais; - Medidas de meio ambiente de trabalho e capacitação dos trabalhadores, além das exigências legais; - Criação ou apoio à implementação de Unidade de Conservação, nos termos da legislação vigente, ou inscrição de áreas urbanas e rurais no Banco de Áreas Verdes (BAV) do município, além das obrigações legais; - Adoção de tecnologias que contribuam para o uso racional de água e/ou energia; - Outras ações de cunho socioambiental apresentadas pelo empreendedor e validadas previamente pela SVDS. Através do Selo S, a Prefeitura Municipal de Campinas objetiva estimular os empreendedores a adotarem práticas sustentáveis, sendo grande parte destas responsáveis pela redução direta e/ou indireta das emissões dos gases causadores de efeito estufa (GEE). Start year  
Sector  
Type Regulatory
Status In progress
File download
Saneamento Básico
O Plano Municipal de Saneamento Básico de Campinas (PMSB) tem por objetivo principal a universalização do acesso, por parte da população, aos serviços básicos de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e limpeza urbana, além da drenagem de águas pluviais. Esse plano deve ser aplicado em todo o território municipal, incluindo as áreas rurais, com vigência de 20 anos, devendo ser revisado a cada quatro anos. O PMSB foi elaborado pelo corpo técnico da Prefeitura de Campinas, ou seja, sem custo extra ao orçamento municipal e com a participação da sociedade civil e organizada, por meio de audiências públicas. Start year  
Sector Waste
Type Policy/Strategies/Action Plans
Status Completed
File download
Rapidão - implantação corredores de onibus padrão BRT
A ação consiste na implantação de corredores de ônibus padrão - Bus Rapit Transit - prevendo a instalação de 3 corredores nos eixos de maior demanda criando linhas estruturadas, que serão alimentadas por linhas alimentadoras que buscam os passageiros nos bairros. O resultado esperado é elevar o nível de mobilidade e circulação das pessoas, diminuindo o tempo de viagem e a quantidade de ônibus circulando no município. As obras e projetos serão contratados no âmbito do programa "PAC II Mobilidade: Grandes Cidades", com recursos do Governo Federal e da Prefeitura Municipal de Campinas. O BRT atenderá a três importantes eixos de transporte do município, beneficiando cerca de 40% da população de Campinas. A implantação dos corredores de ônibus no padrão BRT implica em reduções significativas nos tempos de viagem em função das características deste sistema frente aos corredores comuns, prevendo a implantação de corredor de ônibus com faixas exclusivas junto ao canteiro central para fluxo dos ônibus do sistema de transporte coletivo, além de uma série intervenções físicas, citando-se dentre estas: estações de transferência, paradas, terminais e obras de arte. As intervenções para melhorias do trânsito são vias há bastante tempo utilizadas para tráfego de equipamentos do transporte público municipal, constituindo na alternativa econômica, social e ambiental mais adequada. Start year  
Sector Transport
Type Technical/Infrastructure investment
Status In progress
File download

Adaptation actions

Política Municipal para incentivo à Água de Reúso
A Resolução Conjunta SVDS/SMS n° 9/2014 estabelece modalidades, diretrizes e critérios gerais para o reúso direto não potável de água, proveniente de Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) de sistemas públicos para fins de usos múltiplos no Município de Campinas e tem a finalidade de promover o uso de água de reúso para fins menos nobres - como a lavagem de espaços públicos e privados, construção civil e processos industriais - poupando os recursos hídricos naturais e conscientizando a população sobre a importância da água. Start year  
Sector  
Type Regulatory
Status Completed
File download